top of page
Buscar
  • assessoriasesunipa

Conheça os grupos de trabalho do ANDES-SN e saiba como funcionam




Os Grupos de Trabalho (GTs) do ANDES-SN são espaços de formação sindical não deliberativos, responsáveis por contribuir com a formulação política e também auxiliar a diretoria do ANDES-SN. Criados ao longo da história do Sindicato Nacional, pelos GTs docentes se mantêm atualizadas e atualizados sobre temáticas importantes para a sociedade e não apartam o seu ativismo sindical da realidade social, destinando espaços para o debate de questões relacionadas à educação, à ciência e tecnologia, meio ambiente, classe, raça e gênero, ao sindicalismo e à própria organização da categoria.


Na prática, as seções sindicais fazem reuniões dos GTs para discutirem temas locais. A socialização do trabalho realizado acontece nas reuniões nacionais, coordenadas por membros da direção do ANDES-SN, responsáveis por cada GT.


Também nas reuniões nacionais são discutidas e recomendadas ações nacionais, como realização de encontros e outros espaços de formação e articulação. Qualquer docente sindicalizada e sindicalizado pode contribuir com os grupos de trabalho. Para isso, é necessário entrar em contato com sua seção sindical e se integrar aos GTs locais.


Atualmente, o ANDES-SN conta com 11 grupos de trabalho, que subsidiam a diretoria.


GT de Política Educacional (GTPE)

É responsável por produzir, apresentar e divulgar análises sobre políticas educacionais em fase de construção ou implementadas pelos governos. Debate, estuda e analisa as leis estruturantes da educação no Brasil, como a Lei da Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e o Plano Nacional de Educação (PNE), assim como os projetos que buscam impor uma educação uniforme e acrítica, como o projeto “Escola sem Partido” e seus similares. Toda a sua produção é baseada no princípio da indissociabilidade entre ensino-pesquisa-extensão e na defesa da educação pública, gratuita, estatal, laica e socialmente referenciada.


GT de Trabalho de Política de Classe para Questões Étnico-raciais, de Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS)

Reflete, produz e elabora sobre, e para, os debates relacionados a gênero, questões étnicorraciais, sexualidade, pautas da população LGBTQIAP+, articulado com as ações e políticas sindicais que garantam espaços de formação e elaboração de materiais sobre esses temas. Está voltado para a defesa da garantia das políticas de combate às opressões dentro e fora do Sindicato Nacional, assim como busca construir uma agenda que dialogue com os movimentos sociais. O GTPCEGDS, via sua coordenação nacional e os GT locais das seções sindicais, também atua na luta contra o capacitismo, o assédio sexual, as violências contra mulheres, negras e negros, indígenas e população LGBTQIAP+ nas universidades, institutos federais e cefets.


GT de Política e Formação Sindical (GTPFS)

Criado no VIII Congresso do ANDES-SN, em 1989, com a finalidade de acompanhar a transformação das Associações Docentes em Seções Sindicais, logo depois de ocorrer a transformação da Associação Nacional em Sindicato Nacional, o GT concentra os debates sobre formação política e sindical nas seções sindicais do ANDES-SN, a relação com sua Central Sindical (quando houver) ou espaços de atuação, em unidade de ação com outras entidades do funcionalismo público, da Educação e outros movimentos sociais. A construção de propostas de formação sindical e de organização política que são debatidas em Conads e Congressos têm no GTPFS uma de suas instâncias mais importantes de elaboração e difusão.


GT de Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria (GTSSA)

Auxilia a Diretoria Nacional do ANDES-SN nos debates relacionados à Seguridade Social na perspectiva da proteção social: (1) da Saúde, enquanto política pública e suas interfaces com a saúde da trabalhadora e do trabalhador docente; (2) da Assistência Social; e (3) da Previdência Social, para ativas, ativos, aposentadas e aposentados. Cabe ao GT articular atividades de formação sindical e atuar em parceria com movimentos sociais, nacional e localmente, na defesa dos direitos à Saúde, à Assistência e à Previdência Social da classe trabalhadora.


GT de Política Agrária, Urbana e Ambiental (GTPAUA)

Inicialmente criado para debater a questão agrária, com o tempo, o GTPAUA foi sofrendo alterações a partir do acúmulo do Sindicato Nacional, no que tange à necessária e indispensável articulação entre a temática agrária, urbana e ambiental. O GT trata das temáticas relacionadas ao meio ambiente, à degradação ambiental e às consequências para a vida na cidade e para as comunidades e povos originários e tradicionais, como quilombolas, indígenas, ribeirinhas e ribeirinhos, entre outros. Discute as repercussões da apropriação privada da terra, nos meios urbano e rural, e seus impactos para a vida no campo e na cidade.


GT de Comunicação e Arte (GTCA)

Auxilia a Diretoria Nacional do ANDES-SN nos debates e na construção de políticas relacionados à comunicação, cultura e arte; e às pautas dos coletivos que protagonizam as manifestações populares e de resistência. Articula ações sindicais de fomento e mediação à produção artística; e propõe políticas de comunicação do ANDES-SN com suas sindicalizadas e seus sindicalizados. Busca garantir, principalmente nos dois principais eventos do sindicato, espaços de formação e expressão artística e cultural, que contribuam para a pauta das políticas anti-imperialistas, classistas, buscando várias perspectivas expressivas que denotem a arte e a comunicação como instrumentos políticos.


GT de Ciência e Tecnologia (GTCeT)

Criado em 1986, no XII Conad, inicialmente com a denominação de Grupo de Trabalho de "Política Científica e Tecnológica”, o GTCeT desde 2016, com a aprovação da Lei que define o Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (MLCTI), tem discutido a redução dos investimentos em CeT, o viés privatizador da Inovação como foco no MLCTI, além dos impactos para a carreira docente nas Instituições de Ensino Superior (IES). O trabalho do GT tem por referência a defesa da Ciência e Tecnologia públicas para o desenvolvimento do país e para a melhoria das condições de vida do conjunto da classe trabalhadora. Os debates e estudos pautam a constituição das agências de fomento à pesquisa e o desafio da integração com as instituições de ensino, tendo como referência o tripé do ensino-pesquisa-extensão.


GT de História do Movimento Docente (GTHMD)

Fomenta o debate e a construção de políticas relacionadas à memória e à história do movimento docente, e sua relação com a história do movimento sindical no Brasil. Auxilia nos trabalhos do Centro de Documentação do ANDES-SN (Cedoc) e também faz interface com o resgate da memória de luta e resistência à ditadura empresarial-militar no país, realizado pela Comissão da Verdade do ANDES-SN.


GT de Fundações (GTFundações)

Criado em 2005, durante o 50° Conad, inicialmente em caráter emergencial e provisório, o GTFundações tem como objetivo realizar um diagnóstico nacional da situação das fundações de apoio à pesquisa nas IES públicas e colaborar na proposição de uma estratégia nacional de enfrentamento ao processo de privatização em curso. O tema de estudo deste GT continua atual e precisa ser impulsionado, com participação das seções sindicais, visando municiar a categoria com informações e análises a respeito das questões que envolvem a atuação das fundações de direito privado, das organizações sociais e dos fundos de investimento ligados às instituições de ensino superior públicas e seu caráter privatizador.


GT de Verbas (GTVerbas)

O GT Verbas foi criado no final da década de 1980 com o objetivo acompanhar o planejamento dos orçamentos públicos anuais, propor ações visando garantir a destinação destes recursos para as finalidades previstas na Constituição Federal, principalmente dos que financiam a Educação, a Saúde, a Segurança e os benefícios sociais à população em geral e às trabalhadoras e aos trabalhadores.


GT Carreira (GTCarreira)

O GTCarreira tem seu debate de constituição iniciado no primeiro Congresso da, ainda, Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior, em 1982. Seu objetivo é discutir o projeto de carreira única para o ensino superior público, com isonomia entre docentes ativas, ativos, aposentadas e aposentados, estruturada a partir da Dedicação Exclusiva como regime prioritário, para garantir o tripé ensino-pesquisa-extensão. Nesse GT são debatidos os elementos de desestruturação da carreira docente e feita a elaboração de propostas para a construção de uma carreira única que sirva como referência para a luta em todas as instituições de ensino públicas, tanto do ensino médio federal e estadual ligado às universidades estaduais, assim como para o ensino técnico e tecnológico e o ensino superior das três esferas: federal, estadual e municipal.



8 visualizações0 comentário
bottom of page