top of page
Buscar
  • assessoriasesunipa

Em Caçapava do Sul, XXIV Encontro da Regional RS do Andes-SN trouxe debates urgentes



No último final de semana, nos dias 29 e 30 de setembro, o campus de Caçapava do Sul da Unipampa sediou o XXIV Encontro da Regional RS do Andes-SN, encontro que mobilizou dezenas de docentes para o debate de algumas das questões mais urgentes para a educação no atual momento.


O evento, sob a sob a organização da Regional e sediado pela Sesunipampa, teve como tema “Trabalho em educação: reforma e hibridização” e se dividiu em mesas-redondas (na sexta-feira à noite e no sábado pela manhã) e em uma plenária final, que teve lugar na tarde do sábado, dia 30.


"Penso que foi o melhor encontro da Regional já sediado pela Unipampa, tanto pela qualidade das mesas como pela movimentação que o evento provocou", afirma Guinter Tlaija Leipnitz, membro da diretoria da Sesunipampa. Leipnitz destacou ainda a intensidade das discussões que tiveram espaço nas mesas-redondas e contaram com a presença de membros de organizações como o Cpers, o Sinasefe e a Fenet, entre outras.


A primeira mesa, mediada pela presidenta da Sesunipampa, Suzana Cavalheiro de Jesus, abordou as contradições e os prejuízos causados pelo 'Novo Ensino Médio', cuja revogação é motivo de lutas em todo o país. "Foi uma discussão acalorada, que discutiu os prejuízos desse modelo nas escolas públicas, enquanto a desigualdade em relação às escolas privadas apenas se amplia", relatou Giuseppe de Toni, da diretoria do sindicato. Ao mesmo tempo, a ênfase em uma perspectiva tecnicista e a não centralidade dada às ciências humanas, carrega uma noção de formação humana, na qual trabalhadoras e trabalhadores são impedidos de aprofundar reflexões críticas sobre suas condições de trabalho.


Na abertura do evento, a noite de sexta ainda foi marcada por manifestações culturais com a presença do grupo de dança Clara Nunes, coletivo grupo que trabalha com arte afro-brasileira, dedicando-se à salvaguarda da Memória, da cultura e da história dos territórios negros, inclusive quilombolas, em Caçapava. No sábado, o entre turnos teve a presença de Pedro Porto e Evandro Gomes, em um espaço de música nativista e de diálogo com esses artistas que possuem profundos laços com a Unipampa.


No sábado, a mesa redonda ocupou-se dos debates em torno da hibridização do ensino e da importância de defender a universidade como espaço de trocas, de organização, de convívio e interação com a comunidade - elementos que se fortalecem na presencialidade. Discutiu-se a precarização das condições de trabalho e as perdas coletivas que derivam da ampla adoção do ensino híbrido e do trabalho remoto, tanto em termos de Carreira docente, quanto da garantia de uma educação de qualidade para filhos e filhas da classe trabalhadora – algo que se torna, para Giuseppe de Toni, ainda mais necessário no caso da Unipampa, universidade que hoje se depara com um forte problema de evasão. Já Guinter Tlaija Leipnitz defende que "a presencialidade aparece como um movimento necessário tanto para a qualidade do trabalho em sala de aula como para a mobilização dos servidores nas pautas vigentes".


A tarde do sábado, por sua vez, recebeu a plenária final do XXIV Encontro da Regional RS. A ocasião foi utilizada para oferecer relatossobre as pautas executadas por cada seção sindical no último período. A Sesunipampa destacou as dinâmicas vividas ao longo do período de campanha das candidaturas que concorreram à Consulta pública para a Reitoria da Unipampa. Destacamos, ainda, a criação dos Grupos de Trabalho e a formação sindical com foco nos temas de assédio e perseguição docentes.. Com a plenária, definiu-se a pauta da próxima Reunião Ordinária da Regional RS ANDES, que será recebida pela APROFURG, na Universidade Federal de Rio Grande, no final de outubro.


Foto: APROFURG

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page