top of page
Buscar
  • assessoriasesunipa

Sesunipampa reúne-se com nova Reitoria da Unipampa, em Bagé



No último dia 23 de janeiro, a diretoria da Sesunipampa esteve em reunião com a nova reitoria da Universidade Federal do Pampa, em Bagé. Estiveram presentes, pela diretoria, a presidenta da seção sindical, Suzana Cavalheiro de Jesus e os diretores Caiuá Al-Alam, Guilherme Howes e Giuseppe de Toni. Ainda, esteve presente o advogado Tiago Gornicki Schneider, representante do Escritório Paese, Ferreira e Advogados Associados, da Assessoria Jurídica da Sesunipampa. Pela Reitoria, estiveram presentes o Reitor Edward Pessano, a Vice-Reitora Francéli Brizolla e o Chefe de Gabinete Pedro Dornelles.

Além de desejar uma boa gestão para a nova reitoria, a diretoria da Sesunipampa buscou tratar de algumas pautas que são fundamentais para a categoria e comunidade universitária, com base na carta de princípios que a seção havia encaminhado a todas as candidaturas, no período da consulta.


Como primeiro ponto foi abordado pela diretoria a preocupação em relação à forma como a universidade ao longo dos anos, foi marcada por Processos Administrativos Disciplinares – PADs, que se configuraram como perseguições políticas à docentes. A seção sindical acompanha um volume significativo de processos cujo objeto de denúncia não se relaciona com o desempenho da função pública e destacou o quanto é necessário que a universidade busque compreender essa cultura institucional e combater as práticas de assédio.


Foi demonstrada também a preocupação com a desestruturação orçamentária do Ministério da Educação, em que as universidades mantêm patamar orçamentário relativo ao ano de 2012 – nisso desperta especial atenção os recursos diminutos que a Unipampa receberá neste ano. Foi solicitada uma política que realize a transparência das informações relativas ao orçamento da universidade, para que a comunidade possa acompanhar. A diretoria propôs que a Reitoria busque pensar em uma alternativa que possa equalizar um pouco a distribuição orçamentária entre os campi, combatendo a desigualdade de recursos entre os mesmos. Ainda, se posicionou contra a generalização das emendas parlamentares como saídas orçamentárias, pois estas acabam determinando interesses políticos que desvirtuam a missão da produção acadêmica socialmente referenciada. Outro ponto discutido foi relacionado à estrutura de trabalho nos campi, que passam por problemas em relação à precariedade dos prédios, goteiras, laboratórios sem equipamentos ou defasados, a necessidade de revitalização e ampliação das frotas de veículos para saídas de campo, assim como a necessidade da ampliação de vagas docentes nos cursos.


A diretoria também apresentou reivindicação da ampliação dos valores hoje atribuídos à assistência estudantil, e que seja repensado o modelo fracionado dos auxílios que hoje é adotado na universidade. Foi demarcada também a preocupação com os modelos dos Restaurantes Universitários, que atualmente são custosos e não buscam alternativas, como por exemplo, com produtos de agricultores familiares das cidades sedes dos campi. Na sequência, discutiu-se a necessidade da universidade adotar uma política de oferecimento de frota para transporte de estudantes para as aulas nas cidades em que o transporte municipal não funciona ou é precário.


Outro ponto debatido com a Reitoria foi a importância de uma política que busque não ampliar o Ensino a Distância na instituição, que hoje é generalizado pela concorrência dos editais UAB e na carga horária de até 40% dos currículos nos cursos presenciais. A perspectiva de aumentar o número de vagas na mesma estrutura que existe, não aproxima os estudantes da modalidade EaD da vivência universitária e precariza o trabalho docente. Do mesmo modo, entende a Sesunipampa que é fundamental garantir a presencialidade da comunidade universitária nos campi, que são espaço de convivência, aprendizado e engajamento da classe trabalhadora que frequenta a universidade. Logo, o uso dos 40% da carga horária não pode ser utilizado apenas como fator que flexibiliza a necessidade de presença em sala de aula. É necessário criar estrutura, atividades e interesse em ocupar o espaço físico dos campi, tanto por estudantes dos cursos presenciais, como por estudantes dos cursos EaD. Foram ainda debatidas a necessidade da defesa da carreira docente, a adoção de um modelo mais eficaz que facilite o processo de progressão de docentes na universidade, recorrendo a uma facilitação via sistemas de tecnologia integrados.


Por último, foi dialogada a importância do respeito da gestão às mobilizações e construções de paralisações ou greves que sejam fundamentais para defender os ataques à carreira, e a reivindicação de melhores condições de orçamento e estrutura da universidade. No final, o Reitor Edward Pessano e a Vice-Reitora Francéli Brizolla, entregaram convite à Sesunipampa para o próximo Conselho Universitário a ser realizado em fevereiro, onde a nova gestão assumirá a coordenação daquele colegiado.

46 visualizações0 comentário

תגובות


bottom of page