top of page
Buscar
  • assessoriasesunipa

Setor da Ifes indica rodada de assembleias nas Seções Sindicais para construção de greve geral

17 de janeiro de 2022


Servidoras e servidores públicos marcham na Esplanada dos Ministérios em defesa dos serviços públicos, em novembro de 2021.


Docentes de 33 seções sindicais do ANDES-SN participaram, na última quarta-feira (12), da reunião do Setor das Instituições Federais de Ensino (Ifes). Após o debate, as e os docentes encaminharam a realização de uma rodada de assembleias gerais nas bases até 11 de fevereiro para deliberar sobre a construção de greve unificada das servidoras e dos servidores públicos federais (SPF). O encontro se deu de forma virtual, em decorrência da pandemia da Covid-19, e contou também com a participação diretoria nacional.


Além da defesa dos serviços públicos, na pauta a ser debatida pelas e pelos docentes constam as reivindicações por melhores condições de trabalho, por reposição salarial, pela revogação da Emenda Constitucional (EC) 95/16, e, ainda, pela retirada de pauta da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20. A categoria irá debater também a construção de uma pauta específica da Educação em conjunto com as demais entidades que atuam nas instituições federais de ensino (IFE).


Os resultados das assembleias devem ser encaminhados para a Secretaria do ANDES-SN (secretaria@andes.org.br) até o dia 14 de fevereiro, e irão subsidiar os debates da próxima reunião do Setor das Ifes, que será realizada na semana de 14 a 18 de fevereiro.


Outra deliberação da reunião foi a construção do “Dia de Paralisação e Luta”, nessa terça-feira (18), em conjunto com demais categorias do funcionalismo, conforme proposto pelo Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate). Em reunião do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) na última sexta (14), na qual o ANDES-SN esteve presente, foi definida a adesão à manifestação, com atos em Brasília e nos estados, além de uma agenda de mobilizações.


“A pauta tem sido construída nesse sentido da reivindicação salarial, mas também incluindo a derrubada da PEC 32, a questão da revogação da EC 95, pois entendemos que ela é um dos fatores principais que fez com que a pauta salarial e todos os outros direitos da classe trabalhadora tenham sido esmagados em nome do ajuste fiscal, do Teto dos Gastos. Essas foram as principais discussões [na reunião do Fonasefe] e agora as categorias iniciam o seu processo de construção da greve nas suas bases”, explica Rivânia Moura, presidenta do ANDES-SN.


Confira aqui a Circular nº 16/22


Fonte: Andes-SN

5 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page